sábado, fevereiro 28

sexta-feira, fevereiro 27

As três mentiras (solução)

1 - Já me perdi no Centro Comercial das Amoreiras.
VERDADE - estava com uma amiga minha, tínhamos ido a uma acção de formação para orientadoras pedagógicas e à noite íamos às Amoreiras, ela entrou numa loja e eu resolvi continuar a dar voltas e... nunca mais encontrava a loja onde ela tinha entrado e não havia telemóveis....

2 - Já fui multada três vezes no mesmo dia por estacionamento irregular.
VERDADE - um dia de manhã fui ao hospital ter com uma amiga cujo pai tinha sido internado, deixei o carro em cima do passeio no exterior do hospital e fui multada. Quando saímos parei na rua dela, em frente da montra de uma loja de mobília e fui multada, à noitinha fui a casa de outra amiga estudar (estávamos a fazer o curso universitário nas extensões da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, no Funchal) e parei o carro, como fazia sempre, em cima do passeio junto ao Liceu e fui multada.

3 - Já apanhei uma bebedeira na primeira comunhão de um primo meu.
VERDADE - não tinha comido quase nada, tomei três copos de vinho e comi pouco lá na festa e pronto... dizem que comecei a dizer asneiras mas ainda me lembro que uma amiga da minha prima fez um chá com uma quantidade de ervas que foi milagroso, passou-me a bebedeira e não fiquei com ressaca.

4 - Já fui para uma igreja assistir a um casamento que só se realizava oito dias depois. MENTIRA

5 - Nunca subi a uma árvore.
VERDADE - embora não sofra de vertigens não me dou bem com alturas instáveis, detesto subir a bancos, escadas de abrir caseiras, etc.

6 - Já atravessei do Pico Ruivo para o Pico do Areeiro em plena noite.
MENTIRA - nem de dia quanto mais de noite :)

7 - Já fumei um charro e fartei-me de vomitar depois.
MENTIRA - nem sequer sei fumar, nunca vi um charro na vida.

8 - Nunca consegui dar uma cambalhota nas aulas de ginástica.
VERDADE - nunca gostei de fazer ginástica e nunca fui capaz de dar uma cambalhota mesmo com a ajuda da professora.

9 - Quando, em pequena, me perguntavam o que queria ser respondia sempre: professora.
VERDADE - agora arrependo-me, por vezes, mas sempre quis ser professora.

terça-feira, fevereiro 24

Hoje é dia de CHAMPIONS

Hoje joga-se para a Liga dos Campeões. 
O FCPorto joga com o Atlético de Madrid. Vejam as crónicas de Miguel Sousa Tavares e António Simões n' A Bola e a conferência de imprensa de Jesualdo Ferreira n' O Jogo.
Jogam também: Lyon - Barcelona, Arsenal - Roma e Inter de Milão - Manchester United (este seguirei também com muitooooo interesse).

sábado, fevereiro 21

As três mentiras

O Daniel desafiou-me a escrever nove coisas sobre mim em que três delas sejam mentiras. Ora cá vai:
1 - Já me perdi no Centro Comercial das Amoreiras.
2 - Já fui multada três vezes no mesmo dia por estacionamento irregular.
3 - Já apanhei uma bebedeira na primeira comunhão de um primo meu.
4 - Já fui para uma igreja assistir a um casamento que só se realizava oito dias depois.
5 - Nunca subi a uma árvore.
6 - Já atravessei do Pico Ruivo para o Pico do Areeiro em plena noite.
7 - Já fumei um charro e fartei-me de vomitar depois.
8 - Nunca consegui dar uma cambalhota nas aulas de ginástica.
9 - Quando, em pequena, me perguntavam o que queria ser respondia sempre: professora.

De hoje a oito publico os resultados.


terça-feira, fevereiro 17

MST está de volta

Miguel Sousa Tavares voltou a escrever sobre futebol depois de um interregno de duas semanas, eis aqui a prova. Há também um belo artigo sobre simulações e não só, do António Simões, n' A Bola.

segunda-feira, fevereiro 16

Flor do Mar


Quando fui à minha caminhada, ao passar em frente à Rua do Favila (não tenho a certeza, a rua à frente do Conservatório de Música da Madeira) estava a rua ocupada parcialmente por este aparato e estes mirones, suponho que se estava a filmar uma cena da Flor do Mar.
Ando já há uns tempos para escrever sobre a novela que estou a seguir porque é filmada cá e que tem uma série de incongruências. 
A primeira foi logo no primeiro episódio quando puseram uma casa típica de Santana a arder em São Vicente.
A segunda é a rapidez gritante com que as personagens chegam de São Vicente ao Funchal e a Santa Cruz, mas pronto esse ainda é do mal o menos.
A terceira foi a façanha do Pedro que conseguiu nadar das Desertas à Madeira e ainda subiu para a casa do Alex. Espantoso!
E atravessando a novela toda acontece o fenómeno linguístico de ninguém, nem mesmo as personagens que nunca saíram da Calheta e de São Vicente ter o menor sotaque madeirense, aquilo é tudo um português não identificável....Só o Jacinto (Nuno Melo) consegue articular "faranha" como nós, mais nada, um bocadinho de laboratório não ficava nada mal a uma estação que fez o Equador com todo o cuidado.

segunda-feira, fevereiro 9

Terminou o calvário de Eluana Englaro

"Eluana Englaro, a mulher italiana de 38 anos há dois anos em estado vegetativo persistente, morreu hoje, às 19h10 (hora de Lisboa), anunciou o ministro da Saúde Maurizio Sacconi aos senadores italianos."
É muito triste que um país inicie uma guerra política num caso em que está em causa um direito que todos devíamos ter: morrer com dignidade.

Scolari despedido

"Luiz Felipe Scolari já não é treinador do Chelsea. O empate no passado sábado diante do Hull City, que deixou os «blues» no quarto posto da Premier League, a sete pontos do líder Manchester United, valeu o despedimento ao antigo seleccionador de Portugal." - os ingleses foram muito mais rápidos, viram em seis meses o que os portugueses não viram, ou não quiseram ver, em seis anos.

domingo, fevereiro 8

Livros de mais

"Um leitor que leia com atenção, reflicta, converse animadamente com outros leitores, se recorde e releia, pode ao longo da sua vida cruzar-se com milhares de livros. Um leitor prodígio, proposital, que manipule e consulte os livros com um objectivo específico pode ler alguns milhares raramente mais, e no entanto há milhões de livros à venda, dezenas de milhões nas bibliotecas, incontáveis milhões de manuscritos inéditos. Há mais livros para contemplar do que estrelas no céu nocturno no alto mar. No meio desta imensidade como encontrará o leitor a sua constelação pessoal, aqueles livros que colocarão a sua vida em comunicação com o universo e como pode um único livro entre tantos milhões encontrar os seus leitores. Nós os leitores, já sem falar nos autores, ficamos aborrecidos quando não encontramos aqui e agora o livro que queremos, parece-me difícil compreender porque acontece isso, face ao modelo explícito dum sistema de distribuição exaustivo, que permite todos os livros atingir qualquer recanto do universo. Mas os livros vendem-se ou emprestam-se em mais de um milhão de lugares dispersos pelo mundo, manter um exemplar de cada obra em cada um deles ultrapassaria a procura e reciprocamente não existe nenhum lugar no universo onde se possa encontrar um exemplar de todos os livros publicados nem mesmo na biblioteca do congresso americano. a distribuição de livros é sempre incompleta, imprevisível, escrever, publicar, distribuir, é lançar ao mar mensagens dentro de garrafas, incerto o seu destino, encontrá-las também incerto e contudo de tempos a tempos também o milagre acontece: um livro encontra o seu leitor e o leitor encontra o seu livro."  

De Livros de Mais  de Gabriel Zaid

Da intuição masculina

Diz Duarte Gomes sobre o primeiro cartão amarelo mostrado a Fucile:

"O cartão amarelo a que se refere na sua publicação foi uma decisão minha, exclusivamente minha. Parece-me justo dizer-lhe que a opinião do meu árbitro assistente (Pedro Garcia) e a do 4.º árbitro, Luís Estrela, era de que aquela não era situação para advertência", escreveu o árbitro, prosseguindo com a explicação: "Lamentavelmente segui a minha intuição, como muitas vezes o faço. Agora sei que me enganei. Revi o lance em televisão e percebi que cometi esse lapso. A situação em concreto, efectivamente, não configura nenhum tipo de comportamento antidesportivo, como erradamente intuína apreciação in loco do lance."

Ora toda a gente sabe que a intuição masculina não existe, logo o Sr. Duarte Gomes devia abster-se de dar ouvidos a uma percepção que não tem.

(Eu sei que se calhar percepção, depois do acordo ortográfico, se calhar não se escreve assim mas eu sou contra esse acordo e continuo a escrever como me apetecer).

sábado, fevereiro 7

Rainer Maria Rilke

Ouvi o Programa da Antena 3, Conversa de Raparigas, e amei este poema de Rainer Maria Rilke


Tira-me a luz dos olhos: continuarei a ver-te.
Tapa-me os ouvidos: continuarei a ouvir-te.
E embora sem pés, caminharei para ti.
E já sem boca poderei ainda convocar-te.
Arranca-me os braços: continuarei abraçando-te
Com o meu coração como com a mão.
Arranca-me o coração: ficará o cérebro.
E se o cérebro me incendiares também por fim.
Hei-de então levar-te no meu sangue.

terça-feira, fevereiro 3

É brincadeira não é?

"O Ministério da Educação (ME) pretende recrutar professores reformados para, em regime de voluntariado, colaborarem no apoio aos alunos nas salas de estudo, em projectos escolares ou no funcionamento das bibliotecas, entre outras actividades." - ler o resto aqui.
Que me lembre a ministra disse há tempos que não estava preocupada com o crescente número de professores qualificados que se reformavam porque tinha muitos no desemprego para ocuparem aqueles lugares. 
Agora numa medida economicista e fazendo mais uma afronta aos professores quer que vão trabalhar GRATUITAMENTE e ainda pede uma auto-avalição, é que é já a seguir, mal posso esperar pela minha reforma para ir a correr fazer voluntariado. POUPE-ME sra ministra.

Quanto a este parágrafo: "Valter Lemos, secretário de Estado da Educação, reagiu às críticas da Fenprof afirmando que "a lei do voluntariado não permite substituir os profissionais por voluntários" e que aquela proposta, "que por enquanto não passa disso mesmo", frisou, "foi apresentada ao Ministério por um grupo de professores aposentados". nem há palavras.... ou melhor há mas é melhor não as expressar sob pena de me ser instituído um processo jurídico.

segunda-feira, fevereiro 2

Quaresma

Quaresma vai sair do Inter para jogar em Inglaterra. Mourinho, que já o conhecia, que tanta força fez para ele ir para o Inter, agora diz que ele não sabe lidar com os assobios. Mentira, ele sempre jogou melhor depois de umas assobiadelas, a não ser que ele prefira ser assobiado por portistas, que sempre são gente mais selecta que um bando de italianos parvos. 
Faço votos que Quaresma em Inglaterra volte a mostrar o seu génio e que o saibam compreender já que o "Special one" (que de especial tem cada vez menos) não soube, afinal o grande timoneiro parece MESMO estar a perder qualidades.